COVID-19 / Normas DGS

Normas DGS


26-10-2020

Testes COVID-19 RT-PCR (Moleculares) vs. Testes Rápidos Antigénio: Aplicabilidade

A nova atualização da NORMA da DGS vem dar continuidade a uma estratégia Nacional de Testes para a SARS-CoV-2 e visa contribuir para “a proteção da Saúde Pública e mitigar o impacto da pandemia nos serviços de saúde e nas populações mais vulneráveis.”

Neste sentido, os testes laboratoriais para deteção SARS-CoV-2 atualmente disponíveis em Portugal são:

 

  • Testes moleculares de amplificação de ácidos nucleicos (TAAN):

 

• É o método de biologia molecular de referência (“Gold-Standard”) para o diagnóstico e rastreio, pressupondo a pesquisa genética do SARS-CoV-2 através da extração e amplificação do RNA do Vírus;

• São de dois tipos: testes RT-PCR convencionais ou testes rápidos de amplificação de ácidos nucleicos;

• Os resultados devem ser conhecidos no prazo de 24 horas após colheita.

 

  • Testes rápidos de antigénio (TRAg):

 

• São testes de proximidade, (“point of care”), com sensibilidade analítica igual ou superior a 90% e especificidade analítica igual ou superior a 97%.

• Têm uma menor sensibilidade que a metodologia de referência;

• Apresentam uma maior sensibilidade quando o teste é realizado em indivíduos sintomáticos, e numa fase inicial da infeção (casos com início dos sintomas inferior a 5-7 dias) – período em que a carga viral no trato respiratório superior é mais elevada.

 

  • Testes serológicos

 

• São testes que avaliam a resposta imunológica à infeção por SARS-CoV-2 por pesquisa dos anticorpos IgG e IgM, em plasma ou soro humano.

• A partir de uma colheita de sangue, são feitos imunoensaios realizados com quimiluminescência in vitro, com o objetivo de avaliar a provável imunidade do utente ao referido vírus.

 

Para mais informações, consulte a Norma 019/2020

---

 

Rastreio de Contactos

NORMA DGS NÚMERO: 015/2020

DATA: 24/07/2020

ATUALIZAÇÃO: 19/02/2021

Testes Laboratoriais para SARS-CoV-2

A realização de testes laboratoriais para SARS-CoV-2 no momento da identificação dos contactos constitui uma estratégia para reduzir e controlar a transmissão da infeção por SARS-CoV-2, pelo que os contactos de alto risco e os contactos de baixo risco devem realizar teste laboratorial molecular* para SARS-CoV-2, o mais precocemente possível e até ao 5.º dia após a data da última exposição ao caso confirmado nos termos da Norma 019/2020 da DGS.

Os contactos de alto risco com resultado negativo no teste realizado nos termos do ponto anterior da presente Norma, devem realizar novo teste laboratorial molecular para SARS-CoV-2 ao 10.º dia após a última exposição de alto risco, nos termos da Norma 019/2020 da DGS, exceto se desenvolveram sintomas sugestivos de COVID-19. 25.

Em situações de cluster ou de surtos todos os contactos (de alto e baixo risco) devem realizar teste rápido de antigénio (TRAg) para SARS-CoV-2, nos termos da Norma 019/2020 da DGS, para a rápida implementação de medidas de saúde pública.

*Se o teste molecular não estiver disponível ou não permitir a obtenção do resultado em menos de 24 horas, deve ser utilizado um teste rápido de antigénio (TRAg), nos termos da Norma 019/2020 da DGS.