Conheça os resultados da segunda fase do Inquérito Serológico Nacional COVID-19

No final do passado mês de abril foi divulgado o resultado da segunda fase do Inquérito Serológico Nacional, promovido pelo INSA com a colaboração com vários parceiros da saúde. Em suma, o inquérito indica uma seroprevalência de 15,5% de infeção por SARS-CoV-2, numa amostragem de 8.463 pessoas residentes em Portugal, entre 2 de fevereiro e 31 de março de 2021.

Por outras palavras, a prevalência de anticorpos específicos contra a SARS-CoV-2 (imunidade) na população residente em Portugal, dos 1 aos 80 anos de idade, foi de 15,5%. Ficou ainda concluído que 13,5% possui anticorpos fruto da infeção a que estiveram sujeitos, pelo mesmo vírus.

Em termos geográficos, as zonas de maior seroprevalência foram as regiões Norte, Lisboa e Vale do Tejo, Centro e Alentejo.

Em relação à faixa etária, destaca-se a população adulta, em idade ativa, bem como os jovens abaixo dos 20 anos. Do lado oposto, está o grupo dos 70 aos 79 anos, com menor seroprevalência.

Relativamente à população vacinada contra a SARS-CoV-2, o estudo revelou uma incidência de seroprevalência de 74,9% (1 dose) e de 98,5% (2 doses, há pelo menos 7 dias). No entanto, no que respeita a comportamentos preventivos a adoptar, não deve ser descurado o facto do número de pessoas vacinadas no ISN COVID-19 ser ainda relativamente reduzido, ainda que o aumento da imunidade populacional contra SARS-CoV-2 vá aumentando à medida que o programa de vacinação for sendo implementado.

A segunda fase do inquérito foi desenvolvida e coordenada pelos departamentos de Epidemiologia e de Doenças Infeciosas do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, em parceria com a Associação Nacional de Laboratórios Clínicos, Associação Portuguesa de Analistas Clínicos da qual fazem parte os Laboratórios Beatriz Godinho Saúde e com 33 Unidades do Serviço Nacional de Saúde.

Este estudo permitiu dar continuidade ao primeiro ISN COVID-19 realizado entre maio e julho de 2020 e que estimou uma seroprevalência global de 2,9% de infeção pelo novo coronavírus na população residente em Portugal, não tendo sido encontradas diferenças significativas entre regiões e grupos etários.

O relatório de apresentação dos resultados da segunda fase do ISN COVID-19 será publicado durante a primeira quinzena de maio no site do INSA.

Voltar