Infeção Urinária: Mitos e Verdades

As infeções urinárias afetam mais as mulheres
Verdade. A anatomia torna as mulheres mais vulneráveis. A uretra feminina é mais curta, o que facilita a migração das bactérias existentes na zona para o interior da bexiga. Contudo, isto não quer dizer que os homens estejam imunes.
Uma infeção urinária pode ser assintomática
Verdade. Os sintomas de uma infeção urinária são dor ou ardor ao urinar, pequenas perdas de urina,dor na parte mais baixa da barriga, entre outros , no caso de não apresentar sintomas deste tipo o mais provável é que se trate de uma infeção urinária que não necessite de tratamentos específicos.
Beber muitos líquidos ajuda à prevenção
Verdade. As bactérias estão naturalmente presentes no nosso organismo, particularmente no intestino, e é importante perceber que, na maioria dos casos, é o seu nível de concentração que é determinante. Por exemplo, quantos mais líquidos uma pessoa ingerir mais vezes vai urinar reduzindo assim o risco de apanhar uma infeção urinária.
Uma infeção urinária nunca dá febre
Mito. As chamadas cistites (inflamações da bexiga e uretra), por norma, não dão febre. Já as pielonefrites (infeção nos rins), sim, ainda que as bactérias em causa sejam as mesmas.
A menopausa não é um fator de risco
Mito. As alterações hormonais características da menopausa reduzem a mucosa da uretra, contribuindo assim para a mobilidade das bactérias nas vias urinárias.
A diabetes aumenta a propensão para infeções urinárias
Verdade. O diabetes aumenta a chance de apanhar infeções urinárias, quer da bexiga e uretra, quer dos rins. Além de fragilizar o sistema imunitário, a hiperglicemia também favorece o desenvolvimento das bactérias, facilitando as infeções.
As infeções urinárias são contagiosas
Mito. As infeções urinárias são bacterianas e, não virais, pelo que não se apanham nas casas de banho, por exemplo. Muitas vezes, as bactérias causadoras da infeção são provenientes do próprio organismo e, muito frequentemente, dos intestinos do paciente.
Voltar