COVID-19 / Testes de Antigénio

Testes de Antigénio


A nova Circular Informativa Conjunta da DGS Nº 005/CD/100.20.200, prevê a Operacionalização da utilização dos Testes Rápidos de Antigénio (TRAg), em que a sua realização deve, preferencialmente,  ter prescrição e acompanhamento médico. Em situações de investigação de surtos, sob coordenação das autoridades de saúde, a prescrição individualizada poderá ser dispensada.

O que é o Teste Rápido de Antigénio?

O Teste Rápido de Antigénio é um teste de proximidade “Point of Care”, que permite detetar as proteínas do coronavírus. São testes com uma menor sensibilidade do que a metodologia de referência (Teste RT-PCR) e permitem identificar rapidamente os indivíduos infetados quando a colheita é realizada nos 5 primeiros dias da doença.

Prós

  • São testes que apresentam resultados num curto prazo de tempo, geralmente utilizados em situações de grande escala.
  • Não necessitam de equipamento laboratorial para serem processados, a tecnologia utilizada é semelhante ao teste de gravidez.
  • Por não precisarem de equipamento específico para o processamento, requerem menos recursos do que os testes de referência (RT-PCR).

 

Contras

  • A sensibilidade dos testes rápidos é inferior aos testes RT-PCR e a probabilidade de obter resultados falsos negativos é superior.
  • Deste modo, o teste rápido não é tão eficiente para identificar uma infeção proveniente do SARS-CoV-2.
  • Um resultado de negativo tem de ser avaliado junto com a restante informação clínica da pessoa, podendo ser necessária a realização de um teste PCR após a realização de um teste rápido.
  • Assim, o teste PCR, com uma baixa taxa de falsos negativos em relação aos testes rápidos, continua a ser o método de referência no diagnóstico da infecção devido à sua alta especificidade e sensibilidade..

 

Como é Feito?

O Teste é realizado pela colheita de amostras do trato respiratório (exsudado da nasofaringe). São realizados de forma rápida e permitem a obtenção de resultados num período de tempo curto, sendo de leitura visual em equipamento portátil.

Onde posso realizar?

Pode ser realizado em prestadores de saúde, tal como os Postos de colheitas Covid-19 da Beatriz Godinho Saúde, habilitados para colheitas e testes laboratoriais e registados na ERS*; mas também pela Equipa de Saúde Pública e outras sob a coordenação das autoridades de saúde. Por exemplo, no caso de investigação de um surto, é possível que os nossos profissionais se desloquem a uma empresa ou instituição no sentido de testar os utentes in loco.

Quem pode fazer a colheita?

As colheitas para TRAg são feitas por profissionais reconhecidos legalmente para fazer colheitas de análises clínicas, tais como: técnicos de análises clínicas, enfermeiros, especialistas em análises clínicas, etc. formados previamente para a colheita em questão.

Em que situações?

Em situações de surtos, em escolas, estabelecimentos de ensino, estruturas residenciais partilhadas ou para idosos etc. Também profissionais de saúde ou cuidadores diretos “de maior risco de contágio”, que necessitam de ser regular e rapidamente testados.

Em que condições?

A realização dos TRAg requer prescrição e acompanhamento médico individual. Exceção para situações de surtos e testagem de profissionais de saúde, em que a prescrição individualizada poderá ser dispensada, mediante as recomendações e coordenação das autoridades de saúde responsáveis.

Resultados?

Os resultados devem ser comunicados até 12 horas após realização do teste. Terão de ser obrigatoriamente comunicados formalmente em boletim de resultados (papel, sms, e-mail) ao utente, ao médico prescritor e às autoridades de saúde através da plataforma SINAVE.  Podem também ser comunicados oralmente ao utente no momento do teste.

Rastreamento?

À semelhança dos testes RT-PCR, os Testes Antigénio, devem garantir a referenciação e rastreabilidade de todo o processo e intervenientes: quem fez teste, quem emitiu resultado, que teste foi utilizado, fabricante, lote etc. – estes últimos tutelados pelo INFARMED.

 

 

Consulte aqui o Gráfico Ilustrativo de "Dias após Infeção"

*Entidade Reguladora da Saúde